Diagnóstico e remédios para uma crise extrema

Realizar inscrição

O Líbano enfrenta uma crise colossal, com componentes econômicos, políticos e sociais, de origem tanto interna, quanto externa. Apesar da confiança na legendária resiliência da gente e em sua capacidade de superação, não há como se escapar da evidente questão: “como fazer?”. Internacionalista particularmente conhecedor do Levante e do Oriente Próximo, o professor HUSSEIN KALOUT discute ao vivo as causas para o colapso do Líbano, bem como os nós a desatar para que ele possa mais uma vez se reerguer.

 

HUSSEIN KALOUT é cientista político, professor de Relações Internacionais, Membro do advisory board da Harvard International Review e pesquisador da Universidade Harvard, onde coordena pesquisas nos centros Weatherhead de R.I. e no de estudos do Oriente Médio. HUSSEIN KALOUT é também sênior fellow do Núcleo América do Sul do Centro Brasileiro de Relações Internacionais (CEBRI).

Entre 2016 e 2018, foi Secretário Especial de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, integrou o Conselho de Ministros da Câmara de Comércio Exterior (CAMEX) e foi Presidente da Comissão Nacional de População e Desenvolvimento. Também anteriormente atuou como diretor de Assuntos Internacionais do Superior Tribunal de Justiça e diretor de Cooperação Jurídica Internacional da Procuradoria Geral da República.

Desafios para as novas gerações

Além de ser tema com importante conteúdo familiar e emocional, a sucessão envolve aspectos tributários sensíveis e apresenta desafios e por vezes a necessidade do devido planejamento para a devida transição e salvaguarda de patrimônio. Cláusulas restritivas da propriedade, holding familiar, trusts estão entre os tópicos a serem abordados.

CARLOS ALBERTO DABUS MALUF é bacharel, mestre e doutor em Direito pela Universidade de São Paulo (USP) e livre-docente de Direito Civil pela mesma USP. Professor Titular no Departamento de Direito Civil da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, onde foi chefe de 2011 a 2015. Participou da Comissão de juristas criada pelo Deputado Ricardo Fiuza, para apresentar sugestões de modificações ao Código Civil de 2002. Tem experiência na área de Direito, com ênfase em Direito Civil, atuando principalmente nos seguintes temas: Código Civil, Condomínio, Condomínio Edilício, Direito das Obrigações, Direito dos Contratos, Responsabilidade Civil, Direito da Propriedade, Direito de Família e Direito das Sucessões.

Lições do espírito inquebrável

 

Um ano do desastre no Porto de Beirute e quase dois desde que uma sucessão de eventos levou o Líbano contemporâneo à sua mais profunda crise. Contudo não será este o fim da linha, como antes nunca o foi. A historiadora MUNA OMRAN, do GEPOM Grupo de Estudos e Pesquisa sobre o Oriente Médio, vem contar porque essa capital milenar é chamada de Fênix, ressurgindo das cinzas seguidas vezes ao longo da história. O que vale para Beirute, vale para o Líbano e sua gente brava, inventiva e incansável. Se o momento é grave, também é hora da proverbial autossuperação libanesa para enfrentar, superar e voltar a brilhar. Desta vez, descendentes e amigos daquela terra no Brasil também terão algo a dizer. O evento será aberto pela Embaixadora Carla Jazzar.

 

MUNA OMRAN é pós-doutora em Estudos Literários pela Universidade Federal Fluminense (UFF), doutora em Letras pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), mestre em Letras pela Universidade Federal Fluminense, professora colaboradora na pós-graduação em Estudos da Linguagem da Universidade Federal Fluminense, pesquisadora do Grupo Leitura, Fruição e Ensino da Universidade Federal Fluminense (UFF), líder do Núcleo de Pesquisa de História Contemporânea da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), editora da Revista Eletrônica Litteris, integrante da comissão editorial da Revista Fólio-Revista de Letras.

Zeina e o que pode vir ao final da tormenta

 

Em nosso último encontro com ZEINA LATIF, em junho de 2020, especulava-se como seria a retomada da economia, sem noção ainda de que a pandemia se prolongaria por muito tempo. Muito aconteceu desde então: desemprego, inflação, aumento de juros, apetite fiscal do governo e investimentos colocados em xeque. Por outro lado, hoje por fim se imagina poder falar em retomada no prazo relativamente curto. Com indícios contraditórios, é hora de mais uma vez consultar a ZEINA sobre perspectivas e tendências.

ZEINA LATIF foi economista-chefe da XP investimentos, além de outros bancos internacionais. Indicada pela revista Forbes como uma das mulheres mais influentes do Brasil, ela se tornou analista econômica aclamada tanto pelo mercado, quanto pela mídia especializada. 

Schoueri alerta para desvios na reforma

 

Em live de 13 de julho de 2021, o professor Luís Eduardo Schoueri  abordou as recentes propostas do governo, que podem levar a um danoso aumento da carga tributária, com alterações no imposto de renda, tributação de dividendos, mudança de tratamento no para juros sobre capital  próprio, entre outras medidas. Descrevendo o possível impacto negativo, Schoueri conclama a sociedade a se manifestar a tempo, através de seus representantes.

Apesar da densidade técnico, uma análise de forma inteligente, didática e bem humorada, que você pode ver e rever no Canal CCBL no YouTube.

Reaceso o debate da reforma fiscal

No ano passado, o tributarista e conselheiro da CCBL, Professor Luís Eduardo Schoueri, grande autoridade na matéria, orientava-nos sobre os melhores princípios para a necessária reforma fiscal no País.

Com a recente proposta enviada pelo governo ao Congresso, surgem novas questões e dúvidas, todas importantes para o bolso do contribuinte.

Diante dos cenários e desdobramentos possíveis, o Professor Schoueri gentilmente retorna para nos guiar e esmiuçar o que pode vir pela frente.

Terça-feira, 13 de julho, às 19h00. Garanta seu acesso interativo pelo Zoom. O evento também terá transmissão ao vivo pelo Canal CCBL no YouTube.

Comércio Brasil-Líbano: presente e futuro

Direto de Beirute, Everaldo Porto Cunha nos ofereceu uma radiografia da balança comercial, livre comércio com o Mercosul, oportunidades na crise e mais, todos assuntos de interesse das relações bilaterais.

Para quem deseja rever ou não pode participar, o conteúdo editado e compactado já está disponível. Assista aqui o trailer e acesse todos os seis capítulos no canal CCBL no YouTube.

O Líbano e as migrações de mão dupla

O encontro do último dia 9 ofereceu uma fascinante visão histórica da vinda dos libaneses para o Brasil, de um lado e da igualmente bem-sucedida adoção dos armênios pelo Líbano, de outro.

Para quem deseja rever ou não pode participar, o conteúdo editado e compactado já está disponível. Assista aqui o trailer e acesse todos os seis capítulos no canal CCBL no YouTube.

O SECOM que sua a camisa pelo exportador

O último ano e meio não tem sido fácil para ninguém, quanto menos para o exportador com negócios com o Líbano. A crise, que é profunda, não é para sempre. O Líbano continuará a ser estratégico. As relações comerciais de hoje precisam ser preservadas para o futuro.

Mesmo enquanto a travessia é turbulenta, há quem se desdobra para facilitar a vida dos exportadores brasileiros. É o caso do Setor de Promoção Comercial (SECOM) da Embaixada do Brasil, cujo chefe, Everaldo Porto Cunha, vem nos falar sobre seu trabalho, avaliar o estado presente e discutir soluções para os entraves do momento.

 

EVERALDO PORTO CUNHA é diplomata e chefia os setores de Promoção Comercial e do Agronegócio na Embaixada do Brasil no Líbano há mais de três anos. Previamente, serviu nas Embaixadas do Brasil em Portugal e Moçambique. É administrador de empresas pela Universidade de São Paulo e mestre em Ciência Política pela Universidade de Lisboa.

 

Inscreva-se acima para acesso especial interativo. O evento estará no canal YouTube da CCBL.

Retrato de quem vai e de quem chega

Ao longo da história, enquanto seus filhos ganham os quatro cantos do mundo, o Líbano oferece porto seguro aos povos em necessidade. Dois estudiosos da matéria falam a respeito.

Prof. Dr. HEITOR LOUREITO: doutor em História pela UNESP, com estágio sanduíche (PDSE-CAPES) no Matenadaran Scientific Research Institute, Yerevan, República da  Armênia. Co-organizador do livro “Genocídio Armênio: Negacionismo, Silêncio e direitos humanos” (Editora Humanitas-2015). Atua como professor de Relações Internacionais. Publica artigos e ensaios em revistas especializadas e veículos da grande mídia.

Profª Drª MUNA OMRAN; pós-doutora em Estudos Literários, doutora em História e Teoria Literária pela Unicamp. Escritora premiada e membro Corpo Editorial permanente da Editora Parthenon. Atua como professora de Teoria Literária e História Cultural e faz parte do grupo de pesquisa de história contemporânea da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA). Cofundadora do GEPOM e pesquisadora sênior do Grupo de Estudos e Pesquisa sobra o Oriente Médio (GEPOM). Tem artigos e ensaios publicados em revistas especializadas e participação em veículos da grande mídia Globo News, CBN e TV Saúde.